A Banalidade do Mal…

Importante linha de pensamento para a Filosofia Moral e Política, fruto da forte experiência de Hannah Arendt durante o julgamento em Jerusalém de Eichmann, Nazi responsável pelo embarque em massa de judeus para os campos de extermínio.

Gramsci e os idiotas úteis

Não foi por acaso que Michel Foucault escreveu que Gramsci era um autor mais citado do que conhecido. Conheçamos, pois, o autor dos idiotas úteis, homem que deu um dos maiores contributos para aquilo que Hannah Arendt discernia tornar-se uma silenciosa conspiração com instrumentos totalitários…

Hannah Arendt e uma pertinente crítica às Ciências Sociais

Para Arendt, o que deve servir de fasquia para aqueles que estão comprometidos com a política, são os acontecimentos, do passado e do presente, e não qualquer “gadget” das ciências sociais. Esta é uma crítica pertinente que ela faz aos cientistas sociais, e a sua relativa preocupação com a História, para não se repetirem os mesmos erros do passado.

O princípio da mentira na política

Maquiavel lançou muitas das bases do atual sistema político, que normalizou a mentira no sistema governativo ao propor um Príncipe tirano, absoluto, cujos fins acabam por justificar ou absolver os meios. A ética utilitarista propôs a possibilidade de mentir ou de proferir falsas promessas se com isso aumentasse a felicidade pública. As políticas de hoje receberam toda esta carga hereditária...

Website Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: