Hannah Arendt e uma pertinente crítica às Ciências Sociais

Para Arendt, o que deve servir de fasquia para aqueles que estão comprometidos com a política, são os acontecimentos, do passado e do presente, e não qualquer “gadget” das ciências sociais. Esta é uma crítica pertinente que ela faz aos cientistas sociais, e a sua relativa preocupação com a História, para não se repetirem os mesmos erros do passado.

O princípio da mentira na política

Maquiavel lançou muitas das bases do atual sistema político, que normalizou a mentira no sistema governativo ao propor um Príncipe tirano, absoluto, cujos fins acabam por justificar ou absolver os meios. A ética utilitarista propôs a possibilidade de mentir ou de proferir falsas promessas se com isso aumentasse a felicidade pública. As políticas de hoje receberam toda esta carga hereditária...

Por uma educação verdadeiramente livre e plural

O ensino moderno impõe um pensamento único e não admite a livre troca de ideias, atropelando os alunos com velhos e ensebados resquícios de um Republicanismo confessional do ateísmo, anticlerical e positivista. Exige-se uma educação livre e plural, sem imposição de ideologias que impedem o homem de pensar por si.

O conúbio entre o liberalismo e o utilitarismo

O utilitarismo é injusto, não só não resolve os problemas morais como viola direitos fundamentais da Pessoa. O conúbio entre o liberalismo e o utilitarismo tem de ser purificado e repensado. A ética utilitarista é uma muleta frágil para um já manco liberalismo político, que mais facilmente poderá tombar no caos e na anarquia moral e social.

O Estado laico

O Estado é laico, mas muitas vezes, ele mesmo tem dificuldade em perceber o que isso significa, tendendo ao laicismo. Um Estado ateu não é simplesmente o Estado laico, porque não lhe compete negar Deus, nem tomar o partido dos ateus. Ele não pode ser confessional do ateísmo e da irreligião, mas professar a pluralidade e o respeito por todos.

Ensinamentos platónicos fundamentais à política e aos políticos de hoje

Muitas das postulações de Platão permanecem válidas para os nossos dias, sobretudo no que consta à sua filosofia política. Ensinamentos fundamentais à política e aos políticos de hoje. Será uma ideia platónica desejar para as nossas sociedades ocidentais muito mais? Penso que não será uma utopia, mas uma questão educativa ou formativa...

Website Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: